Jackie & Ryan (Um filme) : Singelo mas lindo

Folk e acaso são os protagonistas da história de amor sem medidas  de Jackie (Katherine Heigl) uma ex cantora de  música country e Ryan ( o lindo Ben Barnes ) um artista folk nômade.
960
Andarilho e aparentemente determinado, Ryan é um desses personagens intensos que carregam consigo um mistério  e charme que envolto em música folk, ficou simplesmente lindo de ver e ouvir.


Ryan esta se apresentando com seu amigo na rua para ganhar uns trocados, quando uma de suas espectadoras chama sua atenção, a loira Jackie, que o questiona sobre ter composições próprias. 

Mais tarde Ryan avista Jackie atravessar a rua distraída no celular, é quando então Jackie é atropelada e Ryan a socorre imediatamente, deixando para trás sua mochila ( que é roubada no curto espaço de tempo). 
Jackie então o convida para jantar em sua casa para agradecer o favor. E  assim passa a saber mais sobre o cantor, e sem  querer acaba por revelar a ele mas de si ao expor  sua luta  pela guarda da filha, o que acaba por uni-los de uma maneira rápida e intensa .

O filme é rápido e muito gostoso de assistir, a trilha sonora é maravilhosa. Além é claro  de contar com o charme inigualavel da barba de Ben Barnes! rs

Não sei se é porque  tenho andado sensível ( e  pensando muito em certo alguém ), mas o filme apesar de ser tão singelo, me arrebatou a mil e uma ideias sobre como o amor surge de maneira imprevisível, e muda o rumo de tudo …
é ando apaixonada rs! 
tumblr_inline_o2m85i6i6x1u0epj5_540

Título original : Jackie & Ryan – No Brasil : Jackie e Ryan AMOR SEM MEDIDAS

Ano : 2014 

 
#recomendo!
 Letra  da maravilhosa  SouthBound ‘
I’m heading southbound, long way to go
down to where the weather go’in suit my clothes
police can’t catch me
lord how they try
they always miss me when im passin by, im passin by
i threw all my things in a bag of thought
down one lost dollar boy and that is all i got
well i found all my friends just so i could good bye
i couldn’t hold it down but god how i try
some god religion and it just can’t win
well i take to hard drinkin and i push my feelings in
im leaving town and all the people that i know
and well im drunk still tonight and that fright train my home
im headed south bound, long way to go
down to where the weather is go’in suit my clothes
police can’t catch me, lord how they try
they always miss me when im passing by, I’m passin by
rains pouring hard makes some steery sound
900 more miles and ill be doing just fine
and if the moon and the stars are the only shelter that i know
i guess i got this whole world and you to call me home
to call my home
to call my home
to call my home

Um quase, quase amor, que de tão louco e platônico foi parar nos livros

tumblr_mbwud2olfv1r4o2bao1_500_large2

Me disseram os sensatos ‘ É  estranho presumir amar alguém que não conhece

E quem conhece bem o outro?

Amamos o mistério, e supomos amar a descoberta.

Me disseram os sensatos ‘ Isso é loucura! ‘ 

Mas tudo bem não ter sanidade a troco de amor.

Esse é um mundo escuro até que você enxerga pelos olhos do outro …‘ me disse a consciência, e foi assim que minha razão também cedeu ao amor. 

Que diferença faz se enxergamos ou não? O amor nos torna cegos. E se vivo um romance as cegas, vejo que se parece com todos os  grandes romances da literatura, pois no amor não é preciso ver, basta sentir.

E de tanto sentir, escrevi pra ele um poema, baseado num devaneio sobre um nós que não existiu. O poema foi publicado num livro por uma grande editora.

Ele nunca leu, desconhece o poema e o  livro, tanto quanto desconhece o que  sinto.

Vai ver que todos os livros de poemas são feitos assim, de amores intensos, perturbadores e paradoxalmente encantadores … mais sempre platônicos.

Até que um dia por acaso ele escolhe  meu livro numa prateleira, folheia as páginas, para no meu poema, o lê, e o dedica a mulher que ama.

Essa mulher ao ler o poema compreende o quanto ele a ama  de verdade (como o que senti de verdade).

Foi meu amor traduzido em palavras, impresso, sofrido  e só então  lido por ele,  tocou o coração dele e o dela  também.

E  o que pode ser mais real do que as palavras de um poema, inspirado por um sentimento (real)?

Amor genuíno guardado em  prateleiras, pronto para ser descoberto e lido.

Amor genuíno, do tipo que não precisa se consumar fora das palavras.

Amor genuíno, por isso me bastou que ele houvesse me inspirado, e transferido meu amor a outro alguém.

Um quase amor real, mais que aqui  foi grande, e até  existiu…

Não vai acabar aqui, não fique triste por mim quando souber a verdade.

Você será meu pra sempre, pelo menos como está eternizado nos livros.

Isso é poesia, e os poetas não são de ninguém.No entanto suas palavras são de todos.Nascem pra amar e escrever, só isso.

E isso é tudo.


Esse é o fim  da serie de posts  Um quase, quase amor, abaixo todos eles na sequencia:

ep #1  Momentos de nada

ep #2  Nele

ep #3  Depois de ser arrebatado

ep #4  Acordar

ep #5 Fala

ep #6 Encontro

ep #7 Do meu interesse

ep #8 Conjurando seu amor

ep #9 Hig

ep #10 Preciosidades

ep #11 Melhor que dois

ep #12 Sobre uma coisa que queria te dizer

ep #13 Meio vazio o amor platônico 

ep #14 Exagero do meu romantismo

ep #15 Boba 

ep #16 Um quase, quase amor, que de tão louco e platônico foi parar nos livros


 Curiosidades 

O post  Amor platônico e desconexo , Inferno , A louca , Jogo de azar, Na real e Sobre o fim  também foram inspirados na mesma pessoa.

O livro com o tal poema será lançado agora em Abril pela Editora Vivara.

E não ele (o muso inspirador) nunca soube de nada.

Um quase, quase amor: Boba

largze (11)

Deixe-me sonhar
Não quero acordar
Pelo menos não agora
Não antes da aurora
Ainda há muito pra imaginar
Um mundo inteirinho pra gente se amar
Ainda tem essas rimas tolas no meu caderno
Sobre como isso bem que podia ser eterno

Ou deixe-me acordar
E de verdade me leve a sonhar
Faça isso agora!
Antes da aurora!
Como quiser imaginar
Um mundo pra gente se amar
De um jeito eterno
Igual presumi no meu caderno

Um quase, quase amor: Exagero do meu romantismo

large (86)

Não nasci pra ama-lo
Mais o amo, porque por mim estaria tudo bem haver nascido pra isso
Não vejo problema algum em ama-lo
Exceto pelo que faço disso
Discurso absurdo de amor
E nem precisava tanto
É um amor bonito, eu que exagero com esse lance de clamor
E muito acalanto
Não sei evitar, sou exagerada por natureza
Gosto de amar em demasia
Vejo nisso beleza
Faço disso fantasia
Imagino mundos pra nós dois
Exagero nos cenários
Crio meios pra te visitar depois
Aeroplanos extraordinários
Torço pra cair
Cair em cima de você
Sei lá qualquer coisa, te atrair

 

Queria um amor assim

1b1e293f5d1c6bbdf99b74ee3080af5f

Queria um amor assim
Desses que não cabem em livros
Um amor sem medo da chuva
Mergulhado em verdade
Um amor de verão
Mais eternamente quente

Queria um amor assim
Puro mais malicioso
Não tão simples nem tão complicado
Meio paradoxal e intenso
Meio perdido, mais encontrado um no outro
Meio improvavel, mais que tem tudo haver comigo

Queria um amor assim
Desses que falam as boas canções
Amor que tinha tudo pra dar errado e deu certo
Do tipo que acontece aparentemente por acaso
Mas que não é por acaso que permanece

Queria o amor de Tristão e Isolda sem necessidade de poção alguma
Sem morte do fim
Amor eterno, do tipo escrito nas estrelas
Sem drama, sem brigas
Inundado em lágrimas de alegrias
Um amor que no meio da noite
Assim de repente, como que por acaso, bem no meio do noite
Invadisse como que sem querer os meus sonhos
E se abrisse os olhos ele estaria lá

 

tumblr_ndz743qLlt1spnyg9o1_500

Estou a te trocar por palavras

Estou te comparando á outros homens

De você ando preferindo o silencio

Ando preferindo outros homens 

Ando me escondendo pra que me ache

Quero que me ache só pra perceber que no fundo perdeu 

Quero que viva muito, pra morrer aos poucos

Quero que o calor da vida te condene a minha  frieza 

Que congele! Que vá …

Vá pra bem longe!

Morra de saudade, de desejo cronico de vingança, ou só morra!

 

Um quase, quase amor : Nele

tumblr_nakxuykIyG1sxn6h3o1_540

Nele existe aquilo… Aquilo que eu  procurava sem saber o que era … agora eu sei.

Nele existe isso… Isso que eu nem sabia que precisava, e que agora se tornou necessário

( quase vital ).

Estou enlouquecendo, ou será que só agora compreendo o normal sentimento dos viventes… será que apenas agora compreendo o enigma por trás da alegria dos apaixonados?

Não sei, mas mesmo sem saber me sinto feliz, ele consegue me deixar feliz.

Nele em mim… eu na dele… ele sem ver, ambos sem entender .

Por que nós?

Por que agora?

Nele existe tudo isso ( questionamentos ), um mistério a desvendar.

Nele … ( ou pelo menos eu escolho pensar assim ).

Um quase, quase amor : Momentos de nada

Não sei se esse quase amor merecia de fato uma série de textos aqui no blog, mas o fato é que essa série necessitava de um quase amor pra existir, por tanto aqui estou, rs.

tumblr_inline_mkstvqXae01qz4rgp

Por alguma razão que desconheço ele surgiu, estava lá cruzando repentinamente meu caminho. Desde então ele está lá toda noite, na parte insuspeita da minha viagem nessa vida. 

Toda, toda noite! E isso antes me bastava.

Ve-lo era o momento alegre do meu dia, o momento da minha breve contemplação do destino perfeito pro meu fim ( ou talvez meu ,melhor começo ), mas agora tudo sobre ele me perturba, e nossos momentos me torturam.

Toda noite minha necessidade e meu desejo disputam por um instante á mais, mas o momento é breve, finda.

Toda noite ele vem, e nada acontece. Ele parte, leva consigo as chances, me derruba de volta pro mundo da ausência dele. Um mundo meio vazio.

Ele me deixa com o nada, o nada áspero e triste que há entre nós, e quer que eu sobreviva assim… não sei se posso.

Ele não pede meu telefone, não me chama pra sair, não diz nada estúpido sobre o clima ou apenas um oi sem graça.Ele é uma estatua viva ( me apaixonei por uma estatua viva! )…

Vida ? Será que de fato existe vida ali, congelado na carícia da própria barba apenas olhando pra mim?

É  a figura mais linda que já vi, mas é só uma figura, não passa de uma figura muda enfeitando as cenas de todas as noites ( tolo, assexuado,sem percepção! )

O mundo abaixo da minha pele já não esconde a verdade obvia, meu silencio grita, eu o quero.

Penso que nós dois deveríamos parar de desperdiçar o tempo raro que temos (momentos) com essa partida sem fim de paquera, porque esse é um jogo em que nós dois perdemos.

Devíamos ter a minima coragem de viver. Um aceno, um gesto qualquer, uma palavra, qualquer coisa além do nada.

 

Os paradoxos da paixão e a razão cativa

tumblr_m1e54spTq21robqkvo1_400
Estou lendo A RAZÃO CATIVA As ilusões da consciência: De Platão a Freud (SERGIO PAULO ROUANET – 2 Edição publicado pela Editora Brasiliense), o livro é divido em três partes: O ESPAÇO INTERNO, O ESPAÇO EXTERNO, O ESPAÇO FREUDIANO. E é na primeira parte que se encontra o capítulo sobre a consciência e vida efetiva onde  me deparei com todas as ideias filosóficas que tentam explicar os paradoxos da paixão.

Será que toda paixão torna nossa razão cativa, ou será que é justamente através da paixão que descobrimos a razão para tudo?
250px-Eugène_Ferdinand_Victor_Delacroix_031

Medeia é a famosa personagem da tragédia grega que, abandonada, assassina os próprios filhos a fim de se vingar do marido.

Sei que crimes estou na eminencia de cometer” disse Médeia, ”mas o desejo é mais forte que minhas razões”.

A psicologia de Platão diz que a alma é um conjunto de faculdades hierarquizadas:

Razão, o NOUS, que comanda as demais instancias
Vontade, o TIMOS, que inclina para razão
Apetite, EPTIMIA, que é dominado pelas emoções
E Sócrates compara a alma com coche conduzido por dois cavalos, cujo cocheiro é a RAZÃO.Num aparelho psíquico bem regulamentado o cocheiro deve ter o comando dos cavalos, embora possa perder o controle em certas circunstancias, o que significa que a razão possa ser deposta pelos desejos inferiores.
A ação ética é aquela que visa um bem,sob a impulsão do desejo, e mediante a tutela da razão. A virtude resulta de uma escolha, a escolha é o desejo e a razão, com vistas a um fim. Por tanto é uma razão que deseja e um desejo que raciocina. É o que instrui o desejo o levando a mover-se em direção ao que constitui verdadeiramente o bem, e não a um bem aparente, de modo que significa uma escolha baseada em evitar paixões extremas.
As paixões não são em si nem boas e nem más, mas pode ser que venham a se tornarem nocivas quando excessivas ou deficientes.E compete a razão orientar o comportamento de modo a evitar extremos.
Quantas vezes o desejo não se voltou contra a razão e então nos vimos reféns do que ou quem desejamos?
Desejo ardente por alguém, uma inquietação impetuosa, cólera… Era para possuirmos sentimos mas eles é que nos possuem, tornando a razão cativa e tornando nossa vida em uma busca incansável por realizações desses desejos ( sejam eles bons ou maus ).
Não é a atoa que não é só na psicologia e filosofia que esse assunto tem notoriedade, na literatura geral, no cinema, nas canções é comum nos depararmos com a ideia constante do conflito entre a razão e as paixões.
O homem está obrigatoriamente sujeito as paixões em alguma fase de sua vida ou melhor em todas.
Seja o desejo de enriquecer, de aplacar uma dor, ou de vencer uma competição, somos movidos por desejos o tempo todo, e desejos movem paixões, e paixões as vezes nos fazem esquecer quem somos , afinal de contas perdendo a razão nos perdemos de nós.
E de toda forma são nossos desejos que determinam nossas ações, e nossas ações quem somos, e se não compreendemos o porque de tal desejo, não sabemos o porque de tais ações, e consequentemente não saberemos quem somos e o desejo que deveria revelar quem somos nos faz nos perder totalmente.
Por tanto fazendo jus ao pensamento de Sócrates o melhor a se fazer é controlar bem os dois cavalos e fazer uso de toda temperança necessária para uma vida mais plena, certo?
Não exatamente!
Leibniz o último pensador racionalista do século XVII ressaltou o papel do desejo no processo do conhecimento ” As paixões são uma forma de inquietação, uma tendencia que nos impele a um objeto, e que são acompanhadas de prazer e desprazer.
Com o tempo as paixões deixaram de serem vistas como obstáculos e passaram a serem mais investigadas.Com o Iluminismo por exemplo passou a ser valorizada positivamente, e examinada pelos aspectos de seus condicionamentos sociais.
Vauvenargues escreveu que ”nossas paixões não são distintas de nós mesmos; muitas delas constituem o fundamento de toda a substancia de nossa alma,” e que ” o espirito é o olho da alma, não sua força; sua força está no seu coração, isto é, em suas paixões”.
É O PERÍODO EM QUE HELVETIUS ENSINA QUE ”AS PAIXÕES SÃO NO MUNDO MORAL O QUE O MOVIMENTO É NO MUNDO FISICO : ELE CRIA, DESTROI, CONSERVA, ANIMA TUDO, E SEM ELE TUDO É MORTO. DA MESMA FORMA SÃO AS PAIXÕES QUE VIVIFICAM O MUNDO MORAL.
Ou seja trazendo a ideia de que são justamente as paixões tão determinantes como princípios motores, e decisivas no processo do conhecimento.

FORAM AS PAIXÕES QUE ENSINARAM AOS HOMENS A RAZÃO. Na infância de todos os povos,como na dos indivíduos, o sentimento sempre precedeu a reflexão, e foi seu primeiro mestre”

-Vauvenargues

Não seria um atentado a razão dizer que duas coisas antagônicas são verdadeiras?
Teria a razão sempre estado cativa … e seremos sempre apaixonados acreditando estar certos?