O amor verdadeiro encontra-se nos pequenos gestos: Soppy de Philippa Rice

18947836_426044984429502_8479613589588541440_n
Minha historinha com livro/e Resenha: Faz bastante tempo que fui presenteada com este livro lindo, para ser exata um pouco mais de um ano, quando meu namorado ainda não era meu namorado, rsrs. O fato é que depois de irmos ao cinema (fase da conquista), eu me deparei com este livro em uma vitrine, e antes que eu pudesse perceber ele voltou com livro pra mim. 
18879622_753368248178823_4813853891441459200_n
Ou seja esse livro acabou ganhando um significado todo especial, justamente porque seu titulo é Soppy que significa  demasiadamente sentimental, ou fofo. E seu subtitulo é ‘ Os pequenos detalhes do amor‘  o que vem bem a calhar com a forma como o ganhei. 
A frase da contra capa é justamente o titulo deste post ‘ O amor verdadeiro encontra-se nos pequenos gestos‘  e completa assim ainda mais a maneira como este livro está inerente a minha história de amor <3 !
Soppy
O livro é um apanhado de  tirinhas que se baseiam em  momentos da vida real da designer britânica Philippa Rice e seu namorado também ilustrador com quem vive em Londres (onde se passa o livro).

Soppy que não possui textos corridos, e conta com  poucas frases nas tirinhas (sendo a maioria delas sem frases) ficou popular na web, com mais de meio milhão de postagens no Tumblr, por destacar as sutilezas do amor presente nos gestos mais simples da vida em casal.
soppy_banner2.jpg

As ilustrações em preto, branco e vermelho são simples mais muito (muito!) fofas! E com certeza  capturaram muito bem a experiência de um romance através dos momentos mais simples do dia-a-dia.

soppy-16-606b9aa99709ccc56b922ba27daa0861
Meu namorado como sabem é do Rio de Janeiro, e quando nos conhecemos fazia apenas dezessete dias que havia vindo para o centro de São Paulo. Levou alguns meses até iniciarmos o namoro de fato, mas após começarmos a namorar ele veio morar mais próximo (e com isso quero dizer ser meu vizinho) ou seja, hoje em dia passo mais tempo na casa dele do que na minha. E vivi com ele muitas experiencias similares a deste livro (tipo mobilhar a casa juntos, passar tardes chuvosas juntos e etc), o que faz com que Soppy seja pra mim muito significativo! Mesmo tendo pouco mais de 100 páginas e quase não tendo frases, é um dos xodozinhos da minha estante. Acho que  todo casal vai se identificar nem que seja com uma tirinha só!
<3 Fica aí a dica para presentear seu parceiro(a).
E para quem quer se encantar ainda mais com a arte de Philippa Rice (que hoje em dia é mamãe e fez esse desenho super fofo ai abaixo e postou em seu instagram), fica aqui os links de onde encontra-la:
Instagram
55

Philipparice.com
cardboardlife.tumblr.com
twitter.com/philipparice
facebook.com/cardboardlife

Um livro que aborda a sexualidade feminina sem meias palavras: Diário De Uma Garota Normal

Eddard Stark
Minha historinha com livro:
Há algum tempo …
Voltando de uma viagem, meu namorado e eu passamos numa pequena livraria de terminal rodoviário. E foi o Leo (meu namorado) que ao ver a capa resolveu me mostrar o livro.
Creio eu que ele deve ter feito isto por duas razões, primeira: A ARTE DA CAPA/porque amo vermelho, e amo livros ilustrados, segundo: porque era nítido que o ‘’normal’’  no título era um tanto quanto  irônico.
Eu foliei o livro, li a contra capa, e resolvi levar (ou melhor dizendo, ele me deu de presente!). Mas não demorou muito tempo para perceber que seria uma leitura um pouco cansativa, pois  o livro é bastante extenso e rico em detalhes, além de que a personagem é um tanto quanto chatinha e exageradamente rebelde, o que soou bastante genérico no início.
Próxima do final do livro percebi que a personagem era definitivamente, uma garota perdida! Perdida em vários sentidos, sendo os principais: o fato de ser adolescente, o fato de ter um pai ausente, e possuir uma mãe totalmente irresponsável. E também por crescer numa época onde a juventude tinha por obrigação se rebelar (ainda que sem motivos!)… pra ajudar a criaturinha ainda se apaixonou logo pelo padrasto, com o qual vivia no início uma relação conturbada de sexo casual. Enfim, vamos a resenha:

Minnie é uma garota 15 anos que mora em São Francisco, ama desenhar (e pretende levar seus desenhos a sério e um dia trabalhar com isto) e resolve registrar sua adolescência de uma maneira bem ilustrada num diário. Seu relato da puberdade é bastante detalhado, e não deixa de fora todos os segredos que normalmente os jovens gostariam de esconder de todos.
Diferente da maioria das garotas dessa idade, Minnie não tem receios de abordar sua relação com o sexo, descrevendo detalhes dos encontros amorosos com o namorado de sua mãe, e seu enorme interesse por outros rapazes. Além disso discorre também sem medo sobre sua relação com as drogas.
maxresdefault
Sem sutilezas ou romantismos o livro nos leva a ver o quão rebelde a jovem Minnie é, o que toma um ar quase mirabolante. Mas aos poucos percebemos que sim, Minnie é apenas uma garota normal, insegura com sua aparência, descobrindo o mundo (e apesar das suas experiências diferentes, digamos assim)  tudo o que ela deseja é ser amada, seja por um homem ou por seus pais.
tumblr_ltf9gvj4gk1qgl98no1_500
Obs: O que me lembrou bastante um filme que assisti no Netflix que se chama LOVE ME (ver post AQUI) <
Minnie da voz  a um tema tratado como tabu que é a sexualidade feminina, da qual mau se fala, e quando se fala, é geralmente tratada por homens , ou mesmo por mulheres com certo receio. E um ponto bastante interessante na leitura, é a maneira como a adolescente nos mostra que o universo adulto  pode ser mais cáustico que a própria adolescência, ou que talvez a adolescência só seja caótica justamente por ser essa passagem da infância para um universo de egoísmo e joguinhos ‘’adultos’’.  Pois ficamos a pensar que apesar da personagem ser rebelde, o problema não está nela e sim no adulto que a assedia, na mãe  alcoólatra e que se mantem distante, e no próprio contexto com a qual a juventude da época (1960) estava lidando.
"Everything is so loveless and mediocre"
Fui levada a acreditar durante a leitura que o ápice  do livro seria o suspense sobre a mãe da personagem vir a encontrar seu diário, e de repente surtar com ela. Mas aos poucos se vê que este livro tem o propósito de contar realmente uma estória que nos faça refletir, e sobre tudo não mistificar a sexualidade feminina, pois esta é natural, normal.

Quando vi a foto da autora na capa do livro, e juntando os fragmentos lidos, eu suspeito assim como os críticos de que este é um livro totalmente autobiográfico.
gloecknercollage
Sobre a autora: Phoebe Gloeckner nasceu na Philadelphia e cresceu em San Francisco. Seus quadrinhos apareceram pela primeira vez em publicações underground quando ela era ainda adolescente. Hoje, é aclamada pela critica por sua coleção de historias, quadrinhos, pinturas e gravuras.
Fica aqui minha recomendação para quem curte a abordagem do tema. 
Editora: Faro Editorial –  302 Páginas


valkirias-diario-de-uma-garota-normal
Vale lembrar que o livro ganhou uma adaptação para o cinema em 2015 (que eu ainda não assisti), trailer abaixo: 

Poesia sobre o íntimo: Outros Jeitos De Usar a Boca de Rupi Kaur

5Não é sempre (pelo menos não na atualidade) que um livro de poesias chama tanto atenção a ponto de  ocupar o primeiro lugar na lista de mais vendidos do The New York Times.  Mas isto aconteceu com OUTROS JEITOS DE USAR A BOCA,  livro que reuni poemas e gravuras da escritora e artista Rupi Kaur.
kaur
Rupi  é uma imigrante da Índia, e foi justamente por ter dificuldade em falar inglês quando criança  que se dedicou  a desenhar (hobby que herdou da mãe) e a ler.
E então aos dezessete anos (em 2009) passou a se dedicar a escrita, e ficou famosa nas redes sociais pela temática abordada em sua arte, que carrega uma forte expressão poética de sobrevivência e femilidade. 
rupi
Atualmente Rupi vive em  Toronto , no Canadá, e Milk and Honey– editado por aqui como OUTROS JEITOS DE USAR A BOCA é seu primeiro livro publicado. 
2
Minha historinha com o livro:  O livro já havia a bastante tempo me despertado interesse, tanto pelo fato de se tratar de poesia (como sabem eu me interesso/e escrevo  poesia), e principalmente por esta estar relacionado ao tema MULHER/femilinidade. 
Não sou feminista, e por essa razão mesmo tendo bastante interesse na abordagem da mulher através da escrita, sou bastante criteriosa, e acabo tendo dificuldade em encontrar um bom livro  que trate a respeito.  
9
Mas Rupi uniu o que procurava a um livro com excelentes gravuras (as quais admirei muito!). E então quando  recebi o livro de presente do meu namorado, o devorei em poucas horas! (Embora eu ache que este seja o tipo de livro que se deva ler vagarosamente, buscando refletir a respeito). 
6
Embora já tenha lido a um certo tempo (quem me acompanha do instagram deve ter visto os diversos trechos que compartilhei por lá),  eu queria ter tempo suficiente para falar desse livro por aqui. E finalmente esse dia chegou, rs!
8
Como mulher acredito que é  de suma importância  transmitir  o nosso ponto de vista  em relação o cotidiano no que diz respeito a violência, preconceito, relacionamento familiar/e afetivo, perdas e etc.  { Por isso recomendo este livro, a todas as mulheres (sem exceção), e  aos homens sábios,  para que estes através das palavras de Rupi possam ver um pouco melhor  como muitas vezes nos sentimos em relação a estes temas. } 
Eddard Stark (5)
Neste livro, que é   dividido em quatro partes, que são :  A DOR,  O AMOR, A  RUPTURA E A  CURA
O livro se inicia pela DOR onde Rupi nos conta um pouco sobre os abusos sofridos durante  sua infância e  ao que tudo indica inicio da adolescência. 
Chamando atenção para o tema estrupo, abusos psicológicos, e relação familiar de opressão. Rupi também nos leva a  reflexão, sobre como podemos ser ocupadas/os por educar as mulheres  para serem de certa forma passivas em relação a estes desacatos.  
1617078d7eea82ab652d01420301a311--rupi-kaur
Voz
 
Na parte AMOR,  é abordado a importância do amor próprio, e como este pode tornar muito mais saudável nossos relacionamentos. 
Páginas-de-Leite_Mel_054_055
 
IMG_2514
 Minha parte favorita foi  A RUPTURA onde Rupi parece nos passar com ainda mais força toda revolta do seu íntimo em relação a toda opressão, seja da sociedade, da família ou mesmo de relacionamentos tóxicos e abusivos.
( clique nas imagens para ve-las em tamanho maior )
19894329_667275290133420_1258025908_n-600x800


E então depois de toda poesia de sobrevivência gritada, chegasse a última parte intitulada A CURA,  onde a autora escreve “A questão sobre escrever é que/ eu não sei se vou acabar me curando/ ou me destruindo” — Rupi Kaur
É  A PARTE DO LIVRO ONDE MAIS SE DESTACA A IMPORTÂNCIA DO AMOR PRÓPRIO,COMO LIDAR COM AS PERCAS E SOBRE TUDO COMO TRANSFORMAR EM POESIA/ ALGO POSITIVO   TODA DOR DAS EXPERIENCIAS AMARGAS
6d1b6343f6e4ff062e855d4c3504365f
download
 

  • EDITORA:  Editora Planeta do Brasil, 2017  –  204  páginas 
  • Não deixei de ler este livro, e repassa-lo as mulheres que conhece, pois elas com certeza irão em algum ponto se identificar e se sentirem reconfortadas por esta leitura. 
  • Se eu não destaquei muito bem os motivos pelos quais este livro deve ser lido, não deixe de ver o post feito pelo SUPER INTERESSANTE a respeito do mesmo. 

 
 

Insólito, romântico,poético e baseado em best-seller francês (disponível no NetFlix): Jack e a Mecânica Do Coração

1946122-concours-jack-et-la-mecanique-du-coeur-votre-enfant-dans-un-moment-d-amour
Estava procurando algo para assistir no Netflix, e me deparei com Jack E A Mecânica Do Coração (2014). Não costumo assistir animações, mas o filme  me chamou bastante atenção tanto pela sua belíssima arte, quanto  pela sua sinopse interessante.
Já cansada de ver mais do mesmo na plataforma streaming, eu pensei Por que não? 
E acabei por descobrir uma estória linda, que será a minha primeira recomendação á vocês este ano! 

A mãe de Jack está a beira de congelar no alto de uma colina coberta de neve, quando finalmente é socorrida pela parteira Madeleine (meio feiticeira), e da a luz ao pequeno.
Mas por ser um dia  frio (tãoooo friooo!), o coração de Jack congela.
E daí eu já pensei Poxa que filme triste!
Mas para salvá-lo, Madeleine substitui seu  coração por um relógio.
Isto é quando o filme (ao meu ver) começa a ganhar nuances do estilo Tim Burton.

A essa altura é difícil já não ter se afeiçoado por Jack, um menino  ingenuo (que sofre demasiado bullying na escola por ter um coração de relógio cuco), cheio devaneios e obstinado a reencontrar sua amada.
Daí fiquei sem saber se torcia por ele e Luna, ou se torcia pra ela não acha-la e ficar vivo.  Mas contrariando meu desejo, o  belo romance leva Jack a uma  aventura  com direito a susto de Jack Estripador,  e  uma amizade  como Georges Méliès. 
Se eu contar mais vou dar spoiler  (trailer abaixo): 

A direção do filme  é por conta de  Stéphane Berla (não, não é Tim Burton!). Com apoio do Roteirista: Mathias Malzieu  (músico francês  e autor do livro no qual se baseia a animação *  Malzieu também faz a voz de Jack ).
Abaixo duas versões da capa do livro aqui no Brasil: 

Pretendo  ler o livro (e fazer resenha aqui no blog), de tanto que gostei da animação, e a julgar pelo primeiro capitulo disponível aqui , o filme é provavelmente o reflexo de um excelente livro. 
N.º Páginas: 192
Editora: Contraponto
 

Paladar pra amar

large
Amor calmo, amor fulgaz, amor escândalo e acalentador
Amor contradição, loucura, que aguça olfato e audição
Amor felicidade em prosa ou poesia em dor
Amor platônico, sem tato, turvo ou sem visão
Amor barulhento, costumeiro ou diferente
Amor difícil de explicar, mas que cabe na canção
Amor boêmio, louco  e incoerente
Amor infantil, carente, desses que suplica atenção
Me rendo aqui pois não posso com o coração
 

Borrão

large (1)
O primeiro amor surge sempre antes da gente crescer. Vai ver até a gente só cresce porque ele surge.
Eu era menina quando você veio pra mim, não sabia combinar cores, estragava as aquarelas e fazia estragos com tinta óleo.  Eu sujava telas e me julgava adulta, mau sabia que as pinceladas de imaturidade ia nos colocar num quadro tão desconfortável.
Não queria que tivéssemos sido dramáticos e tristes como Van Gogh, nem queria ver nosso amor como a fase azul de Picasso.
Queria saber como amar, e como pintar de cuidado seu corpo.
Queria ter feito arte digna de ser  emoldurada.
Queria por fim ser mais que um rascunho, um borrão.
Lamento então nossa tela, que hoje se desfaz mais um bucado, pois crescemos e ainda somos péssimos na arte de amar.  
 

Desmaio

drawn-kopel-bed-11
Cai, e dessa vez sobre você
Não me apoiei sobre nenhum argumento falho, nem dei desculpas, ou fiz cena, apenas cai
Cai como caem as folhas das árvores
Não desmoronei, não rolei as avessas, não morri
 
Foi como um desmaio, tranquilo e quase imperceptível
Era eu, era um amontoado de nós, no teu colo desajeitado
Foi quase um sonho, daqueles onde caímos quando mergulhados num sono pesado
Era pra durar pra sempre, mas eu acordei, me endireitei sobre minhas pernas e fui embora
 
Não me culpe se acontecer de novo e eu recair
Cai sem querer
Não sou de agir assim
Cai sem culpa
 
Foi  um desmaio, tranquilo, natural
Era eu, nos teus braços, me lembrava os nós que havia sido
Foi quase um sonho, daqueles onde nos colocamos quando ainda acordados
Era pra  durar mais, mas era só um desmaio

Soneto: Palavras

20160724222009
Palavras
Há sempre as palavras que caem bem, e as que não cabem em lugar nenhum
Algumas dizemos, outras esquecemos, com raras sonhamos e nunca ouvimos
Há sempre as doces, as amargas, as rudes e as acalentadoras
Todas de alguma maneira repleta de formas, sabores, sentidos e cores
Todas importantes, mas há as que dispensamos
 
Há sempre palavras onde tem homens, mas nem sempre há homens onde há palavras
Algumas soam como ruído, outras tantas fazem guerra enquanto poucas chamam a paz
Há sempre pequenas e grandes, da realeza ao baixo escalão
Todas vazando dos lábios, para se declarar, odiar e ensinar
Todas ditas, mas há sempre as que não são ouvidas
 
Há palavras pra todo tipo de gente
Dezenas pra machucar, centenas para curar
Palavras nos livros, nas revistas, nos rádios, nas televisões e nos sonhos
Existem até palavras dentro do silencio, e fazemos até uso de palavras para explica-las
Todas de todo tipo, povoam a terra, inundam os mares, recheiam as manchetes
Falam por nós e as vezes nos calam

Retrospectiva 2017: RELEMBRANDO LUGARES ONDE ESTIVE

Feliz Ano Novo (6)
Eu tenho a impressão de ter vivido uns três anos dentro de 2017,  pareceu que neste ano coube muitos acontecimentos, principalmente se tratando de lugares onde estive. 
Este com certeza foi o ano que menos fiquei em casa, quando não estava no trabalho ou no cinema, estava em alguma exposição, ou visitando algum lugar diferente. 
Resolvi separar aqui  um pouco dos melhores lugares por onde estive, e falar um pouco sobre a relação que tive com cada um deles, e a memória que fica…
CONHECI O BANCO BSP (12)
Vou começar relembrando minha visita ao BSP (Banco de São Paulo) que aconteceu numa manhã chuvosa muito especial, na companhia de um dos meus melhores amigos (LUCAS!). 
Eu já fiz uma postagem aqui, falando sobre esta visita, mas resolvi cita-la nas melhores por conta da sensação maluca que senti ao ver algo tão antigo. Foi uma quase viagem no tempo rsrs!
Fomos muito bem recebidos por lá, e eu tirei muitas fotos pra guardar pra sempre a belíssima arquitetura deste local.   { Para ver meu post sobre,clique aqui ! }
E por falar em lugar antigo, mas recentemente fiz uma visita ao MUSEU DO CAFÉ, que fica instalado no edifício da antiga Bolsa Oficial de Café, e tem como principal objetivo preservar e divulgar a história do café no Brasil e no mundo por meio de suas exposições e atividades culturais.
CONHECI O BANCO BSP
Todo mundo sabe que sou louca por museus, e sempre que via as belíssimas fotos do local aumentava muito minha vontade de conhece-lo, até que finalmente este ano, tive o prazer de estar lá com meu amigo (parceiro de passeio 4ever *Lucas é claro!), e meu namorado.


Site oficial do Museu: http://www.museudocafe.org.br/

Pela nossa viagem juntos esse foi por si só um dia muito especial,  tanto que rendeu um bate e volta na Praia do Gonzaga (local que eu não também não conhecia)  e  claro uma passada na  Pinacoteca  Benedito Calixto (que onde também estive pela primeira vez).
CONHECI O BANCO BSP (1)
Com certeza não é uma das melhores  praias onde estive, pois no dia em questão nos deparamos com muita sujeira por lá, e água estava bastante escura.

Mas nos pareceu um lugar seguro para tirar  muitas selfies rsrs …

Ah e aqui vai algumas fotos ”artísticas” que tiramos na Benedito Calixto

Site oficial da pinacoteca: http://pinacotecadesantos.org.br/


Eu nunca havia ido a um AQUÁRIO antes, e decidimos visitar o Aquário Municipal de Santos :

IMG_20171203_150352
Muitas fotos e boomerang’s/videos de tartarugas,tubarões, peixes e outros seres marinhos deste dia podem ser vistas no meu instagram @jaqueinsolita
Pretendo em breve fazer uma postagem especial tanto sobre este Aquário, quanto sobre um outro lugar que  maioria das pessoas normais já foi, e que eu nunca havia visitado, que é o ZOO São Paulo. Existe toda uma polemica envolvendo lugares onde os animais ficam expostos como atração (sendo nem sempre bem cuidados), e eu pretendo ainda abordar o tema por aqui. Mas por enquanto deixo aqui alguns dos meus registros durante um ZOO SAFARI feito no Zoológico de São Paulo : 

CONHECI O BANCO BSP (2)
Ainda falando de viagem, eu não poderia deixar de citar como tendo sido um dos lugares mais especiais onde estive, minha breve, mas muito linda viagem á bela cidade de Vinhedo.
Como já dito aqui anteriormente, em um post sobre esta viagem, foi deverás especial para mim conhecer o local, pois ele esta ligado a um grande projeto pessoal, que se Deus quiser estará prontinho em 2018! <3
CONHECI O BANCO BSP
Tenho uma grande amiga (Alessandra) que pretende, e será uma grande atualmente na área do direito. E ter conhecido o lindo espaço que o Castelinho Conde de Sarzedas disponibiliza foi um mergulho de cabeça no universo da best!
A visita  também rendeu um post, que pode ser visto, clicando aqui << 
CONHECI O BANCO BSP (3)
Meu momento nerd do ano, foi muito bem vivido na exposição A ERA HEROICA, que destacou  a arte  cheia de movimento do  desenhista brasileiro altamente conceituado Ivan Reis.
POSTAGEM NERD  >> AQUI!
CONHECI O BANCO BSP (4)
Mas com certeza minha exposição favorita do ano, foi Desvandando Universo de Amélie Poulain, com curadoria de Hugo Umberto Carmesim.
A mostra teve entrada gratuita,contou com  100 obras e 5 itens decorativos que destacam a ótica de diversos artistas plásticos sobre o filme.
Esteve em cartaz no piso TS do shopping Frei Caneca, até 15 de outubro de 2017. Na época que postei fotos da minha visita por lá no instagram, muita gente me chamou para perguntar onde era, e eu respondi  á todos, mas estava até agora devendo as fotos por aqui, então lá vai uma chuva de Amélie no slide abaixo: 

Meu namorado que é um grande fã de Legião Urbana vai discordar de mim ( junto de muitas pessoas rsrs),
de que a melhor mostra do ano foi promovida pelo Mis, onde era praticamente possível conhecer rsrs Renato Russo.
E eu não poderia deixar de cita-la entre os melhores lugar por onde estive este ano. Então confere aqui , uma postagem especial
sobre nossa visita ao Renato! rsrs
CONHECI O BANCO BSP (6)
Agora é hora de citar dois lugares muito floridos  onde estive este ano, o primeiro deles rendeu postagem aqui no blog, que é um lugar que  amei conhecer e pretendo visitar novamente em 2018, o BOSQUE DAS CEREJEIRAS!
CONHECI O BANCO BSP (9)
O segundo lugar era sonho de criança, o CATAVENTO (próximo ao terminal Parque Dom Pedro no centro de SP). Finalmente conheci o maravilhoso Borboletário do local (Endereço: Praça Cívica Ulysses Guimarães – Brás, São Paulo – SP, 01015-090), e claro trouxe comigo algumas fotos!  { Super recomendo a visita ao local! }
Screenshot_20171230-213753

CONHECI O BANCO BSP (5)
Um local que pretendo com certeza revisitar é o Instituto Tomie Ohtake, que já chama atenção por fora, devido sua arquitetura impressionante! E  ainda mais  por dentro, pois além de contar com todo um acerco da grande Tomie, traz sempre grandes exposições.
Vale apena visitar !
{ Endereço: Av. Brg. Faria Lima, 201 – Pinheiros, São Paulo – SP, 05426-100 }
CONHECI O BANCO BSP (11)
Outro lugar que com certeza voltarei, é o famoso Beco do Batman!
Estava meio tímida, como vocês podem ver nas fotos deste post, mas em 2018 prometo ser uma modelo melhor! ;DCONHECI O BANCO BSP (7)
Chegou a hora de falar de shows, e uma antiga promessa que tinha com meu grande amigo Lucas… Desde que nos conhecemos prometemos um ao outro que iriamos junto ao Show do Marcelo Jeneci (pois esta é uma das nossas paixões em comum!)
Este ano  cumprimos nossa promessa, e curtimos um belíssimo show do cantor no Teatro Eva Wilva na zona leste de São Paulo!
Foi com certeza uma noite inesquecível!
CONHECI O BANCO BSP (8)
E ainda falando em show, e noite inesquecível, eu não poderia deixar de citar uma das melhores noites de 2017, em que pude conferir o Show de lançamento do cd ”NO SEU QUINTAL” , da melhor banda de rock do planeta (minha banda favorita lógico!) RESGATE!
Vale lembrar que esta também foi a noite do casamento do meu irmão, no qual eu era madrinha. Mas sim, eu deixei a festa, p/ conferir o show!

Esta também é a primeira vez na vida que usei um vestido longo (e sim eu detestei a experiencia, e também a cor escolhida para as madrinhas!)
O álbum está incrível, essa banda parece vinho, quanto mais o tempo passa, melhor fica!
Screenshot_20171230-224722


20170809142259_WV1502299379W598b44f39acca.58
Como disse no início desse gigantesco post, eu fui muito ao cinema (talvez um dos anos em que mais fui ao cinema), então claro vou nomear os melhores filmes deste ano!
Que para mim foi Animais Famintos ( Já citado AQUI – E absurdamente esnobado pela porcaria do Oscar! ). E o outra também com o charmoso Jake, (ficção que surpreendeu) intitulado VIDA ( o qual comentei por AQUI, que foi minha estreia em um Cinema SP CINE,vale apena conhecer mais sobre clicando AQUI  << )


Antes de ir para o gran finale, eu preciso dizer que foi uma experiencia ter revisitado o Planetário  Professor Aristóteles Orsini, também conhecido como Planetário do Ibirapuera,local que eu não ia desde a infância.  ( Confira AQUI < )

E eu não poderia deixar de citar por aqui a SALA SÃO PAULO, onde conferi pela primeira vez na vida uma ORQUESTRA !
O concerto ficou por conta dos talentosos músicos da Orquestra de Heliópolis, que transformaram a manhã do meu domingo em uma experiencia mágica!  

IMG_20171015_105643


E agora sim, o último mas não menos inesquecível local que visitei !


Eu já estive no RJ em meados de 2011 (visitei Búzios!) e este ano tive o convite irrecusável do namo para (conhecer  sua mamis, ou seja minha sogra rs!) ir conhecer sua terra de Natal (no Natal rs!). 
A experiencia foi incrível do começo ao fim, ( e como meu instagram já está puro Angra dos Reis ) vou deixar por aqui apenas algumas fotos dessa viagem maravilhosa :


Agradeço a Deus por todos os lugares lindos que conheci este ano, por todas as novas descobertas, todos os novos amigos, enfim todas as novas experiencias! 
Para ver meus post de reflexão sobre acerca de 2017  {  CLIQUE AQUI !  }
viagem