Coroado

6
Tinha o som de uma sinfonia no silencio daquela cena
O Único inocente sendo exposto como culpado
O Unico que é o verbo se entregando a morte como ovelha muda
Coroado com espinhos, sangrando…
Tinha o som de uma sinfonia no silencio daquela cena
Meu Salvador indo ao inferno buscar as chaves pra me libertar
Assumindo toda minha culpa
Coroado com espinhos, sangrando no meu lugar…
Tinha o som de uma sinfonia no silencio daquela cena
Ele ressureto
Minha esperança viva Nele
Coroado pra sempre
Tinha o som de uma sinfonia no silencio daquela cena
Subindo, Ele prometeu que voltaria para me buscar
Minha esperança vive
Coroado pra sempre
Voltando pra me buscar do inferno onde me coloco

8 comentários sobre “Coroado

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.