c a n t e

tumblr_mv37stOfsu1skyc5uo1_500

 

Cante a canção da liberdade para mim essa noite

Eu preciso adormecer aqui para acordar do outro lado

Onde tudo é melhor

Onde tudo é menos complicado

 

Tudo que é azedo se tornando doce

Toda virtude desatando os nós do nosso embaraço

Nenhum conflito

Nenhuma sentença

 

Cante a canção da liberdade para mim essa noite

Transforme meu silencio em música

Seja minha orquestra, meu vulcão, minha loucura

Transforme minha calma em festa, e meu inferno em sono

 

Cante a canção da liberdade para mim essa noite

Me faça ver onde estão os pássaros

Me permita esquecer todos os porquês

Alivie meu tédio, meu desejo, e toda dor atoa

 

Deixe o medo

Pegue o violão

Cante a canção da liberdade para mim essa noite

 

Me faça enxergar o que há por trás dos seus olhos

Me deixe sentir o som das batidas do seu coração de novo

 

Estou hipnotizada, olhando sempre pela janela em sua face

Viciada no som dos primeiros acordes

Por favor,

Cante a canção da liberdade para mim essa noite

 

13 thoughts on “c a n t e

  1. Conforme eu lia, algo no peito crescia, e ficava impossível não sentir a necessidade da liberdade, expressa nesse poema. A liberação do sentimento real, da saudade, e de tudo que aflige. A poética de determinadas frases, me tocou profundamente. Como se estivesse pedindo algo impossível quando, na verdade, não é (Transforme minha calma em festa, e meu inferno em sono. Me permita esquecer todos os porquês. Alivie meu tédio, meu desejo, e toda dor à toa) pois basta apenas um gesto preciso e especial para tudo isso aflorar. Bom, seria redundante dizer que achei maravilhoso. Mesmo assim, digo! =)

    1. Poxa obrigada, é muito bom saber que tocou alguém ( geralmente quando escrevo penso que o outro não irá entender, não irá compreender justamente porque eu não soube passar direito o que sentia. Mas saber que alguém compreendeu, é como ter conseguido cumprir a difícil missão de tirar daqui de dentro, e sobre tudo ter sido compreendida) .

      Obrigada por suas palavras

      1. É engraçado, porque às vezes eu penso isso também quando escrevo. Fico pensando: “Será que irão compreender o que estou passando? Será que estou complicando demais? Será que alguém se identifica?” Mas o fato é que, SEMPRE há alguém que vai se identificar com o que escrevemos, pois tem pessoas que sentem o mesmo, não importa a fase da vida, ou se nós que escrevemos temos 24 e 35 anos, e os leitores tenham 16, 27, 40, 50… O barato de quem lida com a escrita, além do exercício criativo, é a sensibilidade que é imposta. E isso fica vago se não houver algum sentimento. As emoções fortalecem o que escrevemos, e quando chega às pessoas, já não passa a ser mais nosso. E sim, dos outros. Digo isso, pois sou músico e compositor também, e é a mesma lógica. Fazemos música para os outros ouvirem, assim como os textos, para outros lerem. Claro que há nosso senso crítico, para nos guiar e carimbarmos o selo de aprovação da criação. Contudo, se está bom para nós, estará certamente para muitas pessoas também.

        Você tem uma sensibilidade e uma certa simplicidade para escrever, transportar o que vem de dentro de ti, que é cativante e absorver as informações acaba se tornando muito prazeroso.
        Obrigado eu, por compartilhar seus pensamentos e escritos conosco!
        Estarei sempre aqui, certamente. E, mais uma vez, obrigado por sua visita e tudo mais em meu blog. Agora que estou começando a ter seguidores (como você) e cada curtida, comentário ou visualização, seja de quem for, me deixa imensamente feliz. =D

  2. Já que pediu tanto,
    E me coloquei como sendo o indicado,
    Canto apenas um trecho da canção,
    O resto somente quando estiver ao meu lado,
    Não tenha essa amargura da vida,
    Ela nem sempre sopra o vento que nós queremos,
    Nem mesmo quando em súplicas os fazemos,
    Mas é gostoso ler e perceber que tudo vale muito a pena,
    Uma maravilha poética,
    Um verdadeiro poema,
    Com carinho de amigo blogueiro,
    Faltou apenas um violão,
    Como não estou eu hoje violeiro,
    Pensei em deixar um refrão,
    Um plágio respeitoso,
    Apenas carinho de amigo,
    Não o veja em outro sentido,
    Deixar-me-ia muito inibido,
    Para alegrar seu coração, espero que goste,
    E deixo então esse convite,
    Venha navegar comigo nesse imenso mar que existe.

    Ouça – https://www.youtube.com/watch?v=cLOsHqpM4jM&list=PLN4cPgpNgJhZYKluUqH3ZpZA2BxT2DF2X&index=8

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.